quinta-feira, 21 de maio de 2009

Lista de livros e filmes para vestibular da UNEB e UFBA

Uneb
São elas:
Obra -Autor /Editora

Tenda dos Milagres - Jorge Amado / Record
As Meninas- Lygia Fagundes Teles /Rocco
Bagagem - Adélia Prado / Record
Teoria do Medalhão - Machado de Assis

O Homem que sabia Javanês - Lima Barreto -
Essa Terra - Antônio Torres - ed.Record Editora
Cadernos Negros – Poesia (Os melhores poemas )
Antologia Publicada pelo Fundo Nacional de Cultura/Minc
Anita Garibaldi



UFBA
Obras Literárias Vestibular 2010 e 2011

NOTA PÚBLICA
Em cumprimento aos Artigos 3º e 8º da Resolução 01/02, do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal da Bahia - CONSEPE - o SSOA torna públicos os textos literários indicados, bem como os filmes sugeridos para a Prova de Português da 1ª e da 2ª Fase dos Vestibulares de 2010 e 2011. Estão sendo indicados os seguintes autores e obras literárias, para os Vestibulares de 2010 e 2011:
1ª Fase ou Fase única
· Joaquim Manoel de Macedo - As vítimas algozes · Eça de Queirós - A correspondência de Fradique Mendes · Graciliano Ramos - Vidas secas · Antônio Callado - Quarup· Cadernos Negros; Os melhores poemas (antologia publicada pelo Fundo Nacional de Cultura/MinC) · José de Alencar - Senhora

2ª Fase (CPL)
· Joaquim Manoel de Macedo - As vítimas algozes ·
Eça de Queirós - A correspondência de Fradique Mendes·
Graciliano Ramos - Vidas secas ·
Adonias Filho - O largo da Palma ·
Antônio Callado - Quarup·
José de Alencar - Senhora ·
Mário de Andrade - Macunaíma · Cadernos Negros;
Os melhores poemas (antologia publicada pelo Fundo Nacional de Cultura/MinC) ·
Mia Couto - O último vôo do flamingo· Italo Moriconi (org) -
Os cem melhores poemas brasileiros do século.
Filmes (apenas 2ª fase - CPL):·
A invenção do Brasil - Guel Arraes ·
Cidade de Deus - Fernando Meireles ·
Deus e o diabo na terra do sol - Glauber Rocha ·
O baile perfumado - Lírio Ferreira e Paulo Caldas ·
Diários de motocicleta - Walter Salles Jr. ·
O homem que copiava - Jorge Furtado ·
O que é isto, companheiro? - Bruno Barreto ·
Adeus, Lenin - Wolfganger Becker ·
Faça a coisa certa - Spike Lee ·
O crime do padre Amaro - Carlos Carrera

Vestibular 2010 UNIVASF e UFPE












Estudantes afinados já estão se preparando e correndo nos corredores para o tão disputado vestibular das federais de Pernambuco - a UFPE e UFRPE e a Univasf, no sertão do estado.
Como base, pode-se usar o conteúdo do PROGRAMA do ano 2009, pois geralmente as mudanças são mínimas. E para quem está fazendo algum cursinho preparatório, os professores estão antenados sobre estes assuntos e programas.
O vestibular é organizado pela COVEST (http://www.covest.com.br/) e é dividido em duas fases. A 1ª fase é de conhecimentos mais gerais e a 2ª mais específica de acordo com a opção do candidato.
Continue lendo o artigo e veja o conteúdo das duas fases.
PRIMEIRA E SEGUNDA ETAPAS DE PROVAS
Na primeira etapa do processo seletivo, pretende-se avaliar os candidatos em disciplinas oferecidas no Ensino Médio (2º grau), em relação ao conhecimento humanístico geral, indispensável a qualquer indivíduo que aspira a uma educação de nível superior.
As provas da primeira etapa contemplam o conteúdo programático de cada matéria, sob a forma de questões mais gerais e de menor complexidade.
Na segunda etapa, pretende-se avaliar os conteúdos mais específicos e correlacionados ao curso de graduação escolhido pelo candidato. Para fins de aplicação das provas, os cursos foram agrupados em função dos pré-requisitos comuns.
Nas páginas seguintes, serão apresentados os programas das diversas matérias para as duas etapas do processo seletivo, além de orientações sobre as duas fases do Teste de Habilidades Específicas para os cursos de Música.
Português/ Literatura
I - LÍNGUA PORTUGUESA 1.1. Análise e compreensão de textos, objetivando reconhecer:
a idéia global do texto ou de um parágrafo;
o argumento principal ou os argumentos secundários defendidos pelo autor;
o objetivo ou a finalidade pretendida para o texto;
a síntese do conteúdo global do texto;
as características do tipo ou do gênero do texto em questão;
a função (referencial, expressiva, apelativa, poética, fática e metalingüística) predominante;
a fidelidade de paráfrases a seus segmentos de origem;
relações do texto com outros textos (intertextualidade);
relações do texto com o contexto sociocultural no qual se insere;
informações explícitas e implícitas veiculadas;
o nível (formal ou informal) da linguagem utilizada;
relações semânticas (causalidade, temporalidade, conclusão, comparação, finalidade, oposição, condição, explicação, adição, entre outras) estabelecidas entre parágrafos, períodos ou orações;
expressões que indicam a seqüência das diferentes partes que compõem o texto;
relações de sentido entre palavras ou expressões (sinonímia, antonímia, hiperonímia, hiponímia e partonímia);
usos metafóricos e metonímicos das palavras e expressões;
efeitos (como o da ambigüidade) do valor polissêmico ou homonímico de palavras e expressões;
efeitos pretendidos pelo uso de certos recursos lexicais e gramaticais (repetição de palavras, associação entre palavras semanticamente afins, substituições ou retomadas pronominais e adverbiais, entre outros);
marcas típicas da oralidade formal e informal;
expressões que indicam variações regionais, sociais ou de época da língua portuguesa, com destaque para aspectos relacionados aos usos do português contemporâneo do Brasil;
marcas a partir das quais se pode identificar a posição do autor em relação às idéias veiculadas;
a função ou informação presentes em outros recursos gráficos e em elementos não verbais (parênteses, aspas, tipos de letras, de formatos do texto, imagens, gráficos, tabelas, entre outros);
efeitos dos sinais de pontuação na determinação da coerência do texto;
efeitos de sentido de elementos morfossintáticos:
o valor semântico de radicais, prefixos e sufixos;
o uso de neologismos e de empréstimos lingüísticos;
flexões (regulares e irregulares) do verbo;
regência (nominal e verbal), concordância (nominal e verbal) e ordem das palavras ou expressões no enunciado;
aspectos das convenções ortográficas.
2. Produção de duas questões discursivas, a partir de algum estímulo textual ou lingüístico.
3. Elaboração de um texto do tipo argumentativo, com base em um tema proposto ou em uma situação apresentada, conforme uma das seguintes propostas:
a) redação de um comentário opinativo;b) redação de uma carta formal.
A avaliação do texto levará em conta a observação dos seguintes aspectos:
• Apresentação formal do texto
• Elementos da construção textual- Fidelidade ao tema proposto- Progressão temática- Articulação ou encadeamento das idéias ou das informações- Relevância dos argumentos apresentados- Adequação vocabular
• Elementos lingüísticos- Regência nominal e verbal- Concordância nominal e verbal- Colocação- Pontuação- Ortografia
II - LITERATURA
1. BARROCO E ARCADISMO1.1 Padre Antonio Vieira, Gregório de Matos.1.2 Tomás Antônio Gonzaga.
2. ROMANTISMO2.1 Prosa: José de Alencar, Manuel Antônio de Almeida.2.2 Poesia: Gonçalves Dias, Castro Alves, Álvares de Azevedo.
3. REALISMO/NATURALISMO3.1 Machado de Assis.3.2 Aluísio de Azevedo.
4. PARNASIANISMO/SIMBOLISMO4.1 Olavo Bilac.4.2 Cruz e Souza.
5. PRÉ-MODERNISMO5.1 Lima Barreto, Monteiro Lobato e Euclides da Cunha.
6. MODERNISMO6.1 Mário de Andrade, Oswald de Andrade.6.2 Manuel Bandeira, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade.6.3 João Guimarães Rosa e Clarice Lispector.
7. LITERATURA NORDESTINA, MODERNA E CONTEMPORÂNEA7.1 Graciliano Ramos, Jorge Amado, Rachel de Queirós.7.2 Ariano Suassuna, Osman Lins.7.3 João Cabral de Mello Neto, Joaquim Cardozo.7.4 Leituras recomendadas:• Primeiras Estórias – Guimarães Rosa.• A Hora da Estrela – Clarice Lispector.• Os Melhores Contos de Osman Lins - Sandra Mitrini.• O Auto da Compadecida - Ariano Suassuna.• O Primo Basílio – Eça de Queirós.• Dom Casmurro – Machado de Assis.
7.5 Literatura Portuguesa:• Eça de Queirós – Realismo Prosa.• Fernando Pessoa – Modernismo Poesia.• José Saramago – Prosa contemporânea.
Obs.: A partir do Vestibular 2008, as leituras recomendadas serão renovadas a cada 02 (dois) anos
Língua estrangeira (inglês, francês, espanhol)
O exame de língua estrangeira (Inglês, Francês ou Espanhol) destina-se a avaliar a capacidade do candidato para:
a) compreender textos escritos (em Francês, Inglês ou Espanhol);b) identificar as diferentes funções sintático-semânticas dos vocábulos, locuções e expressões idiomáticas de uso corrente;c) entender os usos da língua em contextos situacionais.
A PROVA:A formulação dos quesitos poderá ser redigida em português ou na língua estrangeira. Os textos, de interesse geral, serão extraídos de livros, revistas, jornais, ou outras publicações não-especializadas.
História
I - HISTÓRIA GERAL
As concepções de História: o Marxismo, a Escola do Annales e a Nova História.
Religião e poder na Antigüidade Oriental.
A Antiguidade Clássica: as contribuições das culturas grega e romana para a civilização ocidental.
A sociedade medieval: as mudanças nas relações de poder e nos hábitos culturais; as culturas bizantina e muçulmana.O Renascimento, as reformas religiosas do século XVII e a construção do mundo moderno.
A expansão marítimo-comercial: colonização e confrontos culturais.
As concepções teóricas sobre formação do Estado Moderno.O Iluminismo e a construção da modernidade; as Revoluções burguesas na Inglaterra e na França e os novos hábitos culturais.
A independência das colônias européias da América;Os movimentos culturais do século XIX e a construção dos novos saberes.
As utopias revolucionárias e o marxismo.
A expansão do capitalismo europeu na África e na Ásia.A concorrência imperialista e a questão da Guerra de 1914-18.A revolução de 1917 na Rússia.
O modernismo nas artes e a construção de novas representações culturais.
O totalitarismo e a segunda Guerra Mundial.
A Descolonização na África e na Ásia.
Conflitos e contradições na 2ª metade do século XX: a globalização, as reformulações na política e a sociedade de consumo.
II - HISTÓRIA DO BRASIL
O Brasil antes da chegada dos europeus.
Os fundamentos da colonização portuguesa.
As disputas entre as metrópoles européias e a presença holandesa no Brasil.
A penetração nos sertões pela expansão da pecuária. A importância da mineração no século XVIII.
As manifestações culturais no Brasil Colônia.
As crises do sistema colonial e os movimentos de resistência à dominação portuguesa.
O processo da Independência: transferência do governo português para o Brasil; Revolução Pernambucana de 1817.
A montagem do Estado Nacional e as resistências: a Confederação do Equador em Pernambuco.
O Segundo Reinado: a expansão da lavoura cafeeira, as novas relações de poder e a Revolução Praieira.
A luta contra a escravidão e seus impasses políticos e o abolicionismo em Pernambuco.
As idéias republicanas e os seus limites.
A cultura brasileira e a modernização no século XIX.
Os movimentos políticos da primeira república e a luta contra as oligarquias.
O Estado Novo e o autoritarismo político.
O fim do Estado novo e a República Brasileira no período de 1946 a 1964; as dificuldades de democratização da sociedade brasileira.
O controle político-militar da sociedade e os movimentos de resistência ao autoritarismo nos anos pós 1964.
As ligas Camponesas em Pernambuco.
A luta pela abertura política e a República Brasileira hoje.A cultura brasileira no século XX, as suas possibilidades de autonomia e a modernização dos hábitos sociais.
Geografia
I - GEOGRAFIA GERAL
1. A Ciência Geográfica - Objeto de estudo da Geografia. A evolução do pensamento geográfico. Os métodos da Geografia. Aplicações do conhecimento geográfico.
2. O Planeta Terra - A estrutura interna da Terra. Os movimentos principais da Terra e suas conseqüências geográficas. A estrutura geológica. A dinâmica das placas litosféricas. A representação cartográfica. Os elementos de um mapa.
3. As condições climáticas ambientais - A estrutura vertical da atmosfera terrestre. Elementos e fatores do clima. Os diversos tipos climáticos e suas características. Os climas regionais.
4. A compartimentação do relevo terrestre - As influências dos fatores estruturais e das condições climáticas atuais e antigas. Os diversos compartimentos do relevo. O relevo e a ocupação do espaço geográfico.
5. A hidrosfera. A distribuição das águas. O ciclo hidrológico. As águas continentais e oceânicas. A poluição dos recursos hídricos.
6. As grandes paisagens fitogeográficas - Os fatores responsáveis pela distribuição dos vegetais. As ações antrópicas sobre a cobertura vegetal.
7. A População mundial - Os conceitos básicos para o estudo da população. A distribuição espacial da população. A estrutura da população. A população e o meio ambiente.
8. A produção do espaço urbano - As funções urbanas. Os processos de urbanização. A urbanização e o meio ambiente.
9. A produção do espaço agrário - Os condicionantes naturais e antrópicos da atividade agropecuária. Os sistemas agrícolas e de criação. A estrutura fundiária. Os impactos das atividades agrárias sobre o meio ambiente.
10. As atividades industriais - Os fatores responsáveis pela localização industrial. Os principais tipos de indústrias. A indústria e as fontes de energia. Os impactos ambientais decorrentes das atividades agrícolas.
11. O comércio internacional - A evolução da atividade comercial. As principais organizações comerciais. O papel dos serviços na organização do espaço industrial.
12. As desigualdades de desenvolvimento e a organização do espaço mundial.
13. Os principais aspectos geográficos da Europa, Ásia e América do Norte - Os blocos econômicos.
14. Os principais aspectos geográficos da América Latina e da África - O Mercosul.
15. As bases naturais do Brasil - A estrutura geológica e o relevo. Os principais compartimentos regionais de relevo. A rede hidrográfica. As condições climáticas. Os grandes grupos de solos e sua utilização agrícola. As principais formações vegetais.
16. A dinâmica da população brasileira - A evolução do povoamento e os processos migratórios. A estrutura da população. As principais características do mercado de trabalho.
17. A urbanização no Brasil - A organização urbana e o papel das regiões metropolitanas. Os principais problemas ambientais das grandes cidades brasileiras.
18. O espaço agrário brasileiro - A estrutura agrária e os problemas sociais no campo. As principais atividades agropecuárias. As principais transformações ocorridas em decorrência do processo de modernização da agricultura. As novas fronteiras agrícolas.
19. As atividades industriais e as fontes de energia no Brasil - Os fatores condicionantes da concentração industrial. Os principais impactos ambientais decorrentes das atividades industriais.
20. O comércio e os serviços no Brasil - Os tipos de comércio. O papel do comércio na organização do espaço no país.
21. Os principais aspectos geográficos das macrorregiões brasileiras - A Região nordeste. Principais aspectos naturais das macrorregiões brasileiras. Os processos de ocupação do espaço e as atividades econômicas.
22. A organização do Estado brasileiro - A organização político-administrativa. A Organização dos Poderes. Os principais aspectos geográficos do Estado de Pernambuco.
23. Os problemas geográficos da atualidade.
Matemática
O programa a seguir reúne conceitos, relações entre conceitos, procedimentos de cálculo e de resolução de problemas na área de Matemática.
Espera-se que os candidatos sejam capazes de mobilizar o conhecimento sobre esses conteúdos, na resolução de problemas de complexidade apropriada ao Ensino Médio (2º grau), formulados seja em contextos matemáticos, seja em aplicações da Matemática.
1. FUNDAMENTOS ARITMÉTICOS
1.1. Números naturais e inteiros: adição, multiplicação e ordem. Números primos e compostos. Divisibilidade, o maior divisor comum e o menor múltiplo comum. Decomposição em fatores primos e o Teorema Fundamental da Aritmética.
1.2. Números racionais e irracionais: adição, multiplicação, divisão e ordem. Potência de expoente racional e real. Irracionalidade de ?2. Frações e dízimas periódicas. Correspondência entre os números reais e os pontos de uma reta.
1.3. Razões entre números e entre quantidades. Percentagens. Proporcionalidade entre números e entre grandezas, proporções e escalas. Regra de três, simples e composta. Juros simples. Média aritmética simples e ponderada e média geométrica.
1.4. Funções: domínio, contradomínio e imagem. Igualdade e operações algébricas com funções. Composição de funções. Funções sobrejetoras, injetoras e bijetoras. Inversa de uma função. Sistema de coordenadas cartesianas. Gráficos de funções. Funções pares e ímpares. Gráficos de y = af(x) e de y = f(x + a) a partir do gráfico de y = f(x). A função valor absoluto.
1.5. Números complexos: representação e operações na forma algébrica e polar. Potências e raízes de um número complexo.
2. ÁLGEBRA E COMBINATÓRIA
2.1. Polinômios: adição e multiplicação, grau e raízes. Funções e identidades polinomiais. Gráficos de funções polinomiais de 1º e 2º graus. Equações e inequações de 1º grau. Equação do 2º grau, discriminante e a fórmula de Bhaskara. Máximos e mínimos envolvendo equações de 2º grau. Inequações do 2º grau. Algoritmo da divisão de polinômios e aplicações: o método dos coeficientes a determinar. Fatoração de polinômios em polinômios irredutíveis. Raízes reais e complexas. Teorema Fundamental da Álgebra. Relações entre os coeficientes e as raízes de um polinômio. Frações algébricas.
2.2. Função exponencial, suas propriedades e seu gráfico. Problemas envolvendo crescimento ou decrescimento exponencial de grandezas. Funções logarítmicas, suas propriedades e seu gráfico. Equações exponenciais e logarítmicas. Juros compostos.
2.3. Igualdade, soma e produto de matrizes de ordem não superior a 3 x 3. Inversa de uma matriz 2 x 2 ou 3 x 3. Operações elementares com linhas de matrizes. Resolução e discussão de sistemas lineares com 2 ou 3 incógnitas. Cálculo e propriedades do determinante de matrizes 2 x 2 e 3 x 3. Expansão de Laplace. Regra de Cramer.
2.4. Princípio de Indução Finita. Seqüenciais numéricas. Seqüenciais recorrentes. Progressões aritméticas e geométricas. Termo geral e soma dos termos de uma progressão aritmética ou geométrica finitas. Limite da soma dos termos de uma progressão geométrica infinita.
2.5. Aplicações do Princípio Multiplicativo à resolução de problemas de contagem. Permutações, arranjos e combinações. Binômio de Newton. Problemas simples, envolvendo o Princípio de Inclusão e Exclusão, para uniões de, no máximo, três conjuntos.
2.5.1. Noções básicas de espaço amostral e probabilidade. Probabilidade condicional e eventos independentes.
3. GEOMETRIA E TRIGONOMETRIA
3.1. Conceitos primitivos da geometria euclidiana. Postulados de determinação de retas e planos. O postulado das paralelas. Congruências de figuras planas. Congruências de triângulos. Paralelas cortadas por transversais e o Teorema de Tales. Semelhanças de triângulos e de polígonos. Relações métricas nos triângulos e nos polígonos regulares. Teorema de Pitágoras. Resolução de triângulos: Teorema dos senos e dos cossenos. Relações métricas na circunferência e no círculo. O número ?. Polígonos inscritos e circunscritos na circunferência. Área de figuras planas: triângulos, quadriláteros, polígonos regulares, círculos e setores circulares.
3.2. Posições relativas de retas e planos no espaço: paralelismo e perpendicularismo. Fórmula de Euler para poliedros convexos. Relações métricas nos poliedros convexos regulares. Prismas, pirâmides e seus troncos. Cilindros e cones retos. Esfera. Área da superfície e volume dos prismas e pirâmides regulares, cones e cilindros de revolução e da esfera. Volume de sólidos geométricos. Volume de prismas, pirâmides, cones, cilindros e esferas.
3.3. Gráfico de equações num sistema de coordenadas cartesianas. Equação da reta. Interseção de retas. Gráficos de sistemas de inequações lineares. Retas paralelas e perpendiculares. Distância entre dois pontos e de um ponto a uma reta. Equações das cônicas: circunferência, elipse, parábola e hipérbole. Retas tangentes e secantes a uma circunferência. Identificação da cônica dada por uma equação Ax2 + By2 + Cx + Dy + E = 0.
3.4. Medidas de arcos e ângulos em graus e radianos. Funções trigonométricas: seno, cosseno, tangente, cotangente, secante e cossecante. Identidades fundamentais. Fórmulas da soma, diferença, duplicação e bisseção de arcos. Valores das funções trigonométricas dos ângulos de ?/3, ?/4, ?/6 radianos. Transformação das somas de funções trigonométricas em produtos. Gráficos das funções trigonométricas, periodicidade e paridade. Equações trigonométricas.
Geometria gráfica
I - GEOMETRIA BIMENSIONAL
1.1. Elementos; substâncias simples e compostas; misturas e substâncias puras; alótropos.
1.2. Medidas lineares e angulares da unidade de sistemas distintos; escalas numéricas e gráficas; segmentos proporcionais;
1.3. Medidas de área – conversão de medidas; de unidade de sistemas distintos;
1.4. Relações métricas entre pontos e retas; pertinência, concorrência e paralelismo; perpendiculares e menor distância;
1.5. Lugares geométricos – retilíneos de eqüidistância;
1.6. Propriedades gerais dos polígonos convexos;
1.7. Elementos, relações, propriedades e construções dos triângulos, quadriláteros e polígonos regulares, convexos e estrelados de cinco ou mais lados;
1.8. Círculo – elementos, relações, propriedades e construções; problemas de tangência e concordância;
1.9. Lugares geométricos curvilíneos: arco capaz e curvas cônicas – elementos, relações, propriedades e construções;
2.0. Transformações geométricas no plano – rotação e translação; simetria central e axial; identificação de centros e eixos de simetria nas figuras planas; homotetia e sua aplicação na mudança de escala de uma figura;
II - GEOMETRIA TRIDIMENSIONAL
1.1. Poliedros – classificação e identificação das pirâmides e poliedros regulares convexos; área e volumes dos prismas e pirâmides.
1.2. Sólidos redondos – classificação e identificação das propriedades dos cones, cilindros e esferas; área superficial e volume;
1.3. Identificação e representação de formas obtidas por sessões do paralelepípedo retângulo em vistas ortogonais;
1.3. Identificação de formas obtidas por sessões do paralelepípedo retângulo representadas em cavaleira e/ou isometria.
Obs.: Além das questões objetivas de resultado numérico ou de verdadeiro – falso, a prova de geometria gráfica incluirá questões de traçado instrumental, que serão corrigidas visualmente, pois seu resultado será traduzido na figura
Física
Este programa abrange o conteúdo típico do curso de Física do Ensino Médio (2º Grau). Na formulação do teste, a Banca examinadora espera que o estudante tenha capacidade de aplicar princípios da Física a situações específicas, interpretar resultados obtidos através de experiências ou observações e analisar dados apresentados em forma de gráficos.
1. GRANDEZAS FÍSICAS
1.1. Grandezas escalares e vetoriais. Unidades e Sistemas de Medidas. Ordens de grandeza associadas a fenômenos naturais. Algarismos significativos. Valor médio e desvio padrão médio.
1.2. Sistemas de unidades. Nomenclatura e relações entre as unidades do Sistema Internacional. Unidades de grandezas físicas, seus múltiplos e submúltiplos. Análise dimensional de equações físicas.
2. MECÂNICA DA PARTÍCULA 2.1. Cinemática escalar e vetorial. Relações funcionais entre posição, velocidade, aceleração e tempo. Velocidade média e velocidade instantânea, aceleração média e aceleração instantânea.
2.2. Movimento uniforme e movimento uniformemente variado. Representações gráficas do movimento uniforme e do movimento uniformemente variado. Descrição do movimento em diferentes sistemas de referência.
2.3. Dinâmica da partícula. Leis de Newton. Decomposição das forças atuantes num corpo. Força resultante e aceleração. Equilíbrio de translação. Estática. Atrito estático e atrito cinético. Máquinas simples: alavanca, polias etc.
2.4. Momento linear. Impulso de uma força - interpretação gráfica. Conservação do Momento Linear. Colisões unidimensionais. Forças elásticas. Lei de Hooke.
3.TRABALHO E ENERGIA
3.1. Trabalho total das forças aplicadas a um corpo. Trabalho e energia cinética. Energia potencial gravitacional. Forças conservativas e dissipativas. Energia potencial elástica. Conservação da energia mecânica. Potência. Conservação da energia. Representação gráfica da variação da energia em sistemas mecânicos simples. Conservação da energia e do momento linear em colisões unidimensionais.
3.2. Aplicações simples da lei da gravitação universal. Movimento de um corpo no campo terrestre. Conservação da energia e lançamento de satélites. Movimento de satélites em órbitas circulares. Leis de Kepler e movimento planetário.
4. EQUILÍBRIO DE CORPOS RÍGIDOS, FLUIDOS, CALOR E TEMPERATURA
4.1. Centro de massa de um conjunto de massas pontuais. Centro de massa de sólidos homogêneos de formas geométricas simples. Torque de forças coplanares que atuam sobre um corpo. Estática dos sólidos. Equilíbrio de translação e de rotação. Condições de equilíbrio para um corpo rígido.
4.2. Densidade de um corpo material. Densidade de um fluido. Pressão de um fluido. Pressão manométrica e pressão barométrica. Pressão atmosférica e sua variação com a altitude. Princípio de Pascal. Empuxo e equilíbrio de corpos flutuantes. Princípio de Arquimedes.
4.3. Comportamento de gases perfeitos em transformações isotérmicas, isobáricas e isovolumétricas. Equação dos gases ideais. Representação gráfica dessas transformações. Escalas Celsius e Kelvin. Transferência de calor e equilíbrio térmico. Dilatação térmica linear, superficial e volumétrica dos corpos. Capacidade calorífica. Calor específico dos materiais. Mudança de estado físico e estados de agregação da matéria. Calor latente de fusão e de vaporização. Dilatação térmica, calor específico e calores latentes da água.
5. FENÔMENOS ONDULATÓRIOS E ÓTICA
5.1. Propagação de pulsos e ondas em meios não-dispersivos. Velocidade de propagação. Caracterização de uma onda senoidal: Amplitude, Comprimento de Onda, Período e Freqüência. Princípio da superposição. Ondas estacionárias.
5.2. Modelo ondulatório da luz. Luz branca e Luz monocromática. Dispersão da luz. Prismas. Velocidade de propagação, Comprimento de onda e Freqüência. Índice de refração. Luz visível e o espectro eletromagnético. Lei da reflexão e da refração. Reflexão total. Formação de imagens por espelhos planos e esféricos, e lentes delgadas. Arranjos óticos simples.
5.3. Fundamentos da ótica física. Interferência, Difração e Polarização. Interferência e a experiência de Young.
6. ELETRICIDADE E MAGNETISMO
6.1. Carga elétrica. Materiais condutores e isolantes. Lei de Coulomb. Densidade linear, superficial e volumétrica de cargas. Campo elétrico. Campo elétrico de uma distribuição simétrica de cargas. Princípio da superposição. Potencial Elétrico. Cálculo do potencial elétrico a partir do campo. Capacitor de placas paralelas. Fluxo do campo elétrico.
6.2. Corrente elétrica. Movimento de uma carga em um campo elétrico uniforme. Resistência. Lei de Ohm. Energia e Potência dissipadas em resistores lineares (ôhmicos). Força eletromotriz. Circuitos elétricos simples envolvendo baterias elétricas, geradores, resistores e capacitores. Associação de resistores em série e em paralelo. Resistência equivalente. Leis de Kirchhoff.
6.3. Campo magnético. Força magnética. Movimento de uma partícula carregada num campo magnético uniforme e constante. Força magnética sobre um condutor percorrido por uma corrente. Vetor, indução magnética. Indução eletromagnética. Aplicações simples e qualitativas das leis de Faraday e de Lenz. Fluxo do campo magnético e corrente numa bobina. Espira de corrente: Indutância.
6.4. Ondas eletromagnéticas. Espectro eletromagnético. Descrição qualitativa de uma onda eletromagnética em termos de campos elétricos e magnéticos variáveis no tempo. Propagação de uma onda eletromagnética.
7. RELATIVIDADE RESTRITA E FÍSICA QUÂNTICA
7.1 Introdução à Teoria da Relatividade Restrita. Experiência de Michelson-Morley. Postulados da Relatividade Restrita. Dilatação temporal. Quantidade de movimento, energia e massa relativística.
7.2 Origens da Mecânica Quântica. Radiação térmica. Corpo negro. Quantização da energia (Hipótese de Planck). Efeito fotoelétrico.
7.3 Modelos atômicos. O átomo de Rutherford. Modelo atômico de Bohr. A experiência de Franck-Hertz.
7.4 Natureza ondulatória da matéria. Dualidade onda-partícula. Princípio da Incerteza. Spin do elétron e o Princípio da Exclusão.
Química
Este programa abrange os principais aspectos do conhecimento da Química atual e deve ser dominado de modo a capacitar o aluno para conceituar, descrever, reconhecer e definir os tópicos abordados, visando, inclusive, a aplicação deste conhecimento a problemas relacionados com o entendimento do universo, do cotidiano e dos problemas tecnológicos relevantes para a sociedade moderna.No tocante à terminologia, espera-se que o estudante seja capaz de utilizá-la para entender o conteúdo abordado e expressar-se adequadamente.
I - ESTRUTURA DA MATÉRIA
1. CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA
1.1. Elementos; substâncias simples e compostas; misturas e substâncias puras; alótropos.
1.2. Métodos de separação e purificação das substâncias.
2. ESTRUTURA DOS ÁTOMOS
2.1. Número atômico; número de massa; isotopia; isobaria; mol; massa atômica; número Avogadro.
2.2. Modelos atômicos e configurações eletrônicas dos átomos; estrutura de Lewis.
3. NÚCLEO ATÔMICO
3.1. Processos nucleares (fissão e fusão); meia-vida; atividade natural e artificial.
4. CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS
4.1. Princípios de ordenação dos elementos na classificação periódica.
4.2. Variação das propriedades físicas e químicas dos elementos na tabela periódica.
5. LIGAÇÃO QUÍMICA
5.1. Fórmula mínima; fórmula molecular; massa molecular.5.2. Elétrons de valência; ligação iônica; ligações covalentes; ligação metálica; hibridização; pontes de hidrogênio e força de Van der Waals.5.3. Fórmulas estruturais.5.4. Propriedades dos compostos iônicos e covalentes.5.5. Polaridade em compostos moleculares.
II - TRANSFORMAÇÃO DA MATÉRIA
1. MUDANÇAS DE ESTADO
1.1. Estados físicos da matéria.
1.2. Gás Ideal.
1.3. Pressão de vapor, pontos de ebulição e de fusão; volume molar; pressão parcial.
2. SOLUÇÕES
2.1. Classificação das soluções e propriedades coligativas.
2.2. Unidades de concentração (molaridade; normalidade; fração molar; percentagem em massa e volume).
2.3. Solubilidade
3. REAÇÕES QUÍMICAS E ESTEQUIOMETRIA
3.1. Funções químicas (Óxidos e Sais).
3.2. Coeficientes e balanceamento de uma reação química.
3.3. Relações ponderais e volumétricas em uma reação química.
4. TERMODINÂMICA QUÍMICA
4.1. Primeira e segunda leis da termodinâmica.
4.2. Entalpia de reação, de formação e de combustão.
4.3. Entropia; energia livre e espontaneidade.
5. EQUILÍBRIO QUÍMICO
5.1. Natureza dinâmica do equilíbrio químico.
5.2. Constantes de equilíbrio (Kp e Kc).
5.3. O princípio de Le Chatelier e fatores que afetam o equilíbrio.
5.4. Produto de solubilidade e fatores que influenciam na solubilidade
6. ÁCIDOS E BASES
6.1. Conceitos de ácidos e bases segundo as teorias de Arrhenius, Broonstted-Lowry e Lewis.
6.2. pH; pOH; indicadores; hidrólise e soluções-tampão.
6.3. Equilíbrio e reações entre ácidos e bases.
7. REAÇÕES DE ÓXIDO-REDUÇÃO
7.1. Número de oxidação; processos de oxidação e de redução; agente oxidante; agente redutor; balanceamento de equações.
7.2. Potencial padrão de redução e espontaneidade.
7.3. Células eletroquímicas.
8. CINÉTICA QUÍMICA E MECANISMOS DAS REAÇÕES
8.1. Velocidade de uma reação; ordem de reação; molecularidade; constante de reação.
8.2. Energia de ativação e fatores que afetam a velocidade de uma reação.
8.3. Mecanismo de reação e lei de velocidade.
III - COMPOSTOS DE CARBONO
1. CARACTERÍSTICAS GERAIS
1.1. Características que servem de distinção entre compostos orgânicos e inorgânicos.
1.2. Funções; radicais; agrupamentos funcionais; série homóloga.
1.3. Notação e nomenclatura dos compostos mais comuns das funções: hidrocarbonetos; álcoois; aldeídos e cetonas; éteres; ésteres; ácidos carboxílicos; aminas.
2. ESTRUTURA DOS COMPOSTOS DE CARBONO
2.1. Valência do átomo de carbono.
2.2. Natureza e tipos de ligação química nos compostos de carbono.
2.3. Cadeias de carbono.
2.4. Isomeria (de função; de posição; plana; espacial e tautomeria).
3. PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS DOS COMPOSTOS DE CARBONO
3.1. Pontos de fusão e de ebulição.3.2. Acidez e basicidade relativa das funções: ácidos carboxílicos; fenóis; álcoois; aminas; amidas.
4. REAÇÕES ORGÂNICAS
4.1. Reações de substituição; adição; eliminação e de oxidação.
Biologia
O candidato deve ter conhecimento básico sobre os assuntos listados nas onze subdivisões do programa de Biologia apresentado. As questões serão formuladas de modo textual, em figuras, gráficos e/ou esquemas. O candidato deve ser capaz de identificar estruturas; correlacionar estrutura e função; identificar e explicar mecanismos biológicos; resolver problemas; interpretar e correlacionar fenômenos evolutivos; aplicar, corretamente, as regras de classificação biológica; ter conhecimento do agente causal, da sintomatologia e profilaxia das principais parasitoses, viroses e bacterioses em humanos, e das leis e dinâmica da Biosfera.
I - CITOLOGIA
1. CARACTERÍSTICAS GERAIS1.1. Célula procariótica e célula eucariótica.1.2. Organelas e inclusões celulares.2. SUPERFÍCIE CELULAR E TROCAS ENTRE A CÉLULA E O MEIO AMBIENTE2.1. Especializações da superfície celular.2.2. Membrana plasmática e regulação das trocas.2.3. Osmose em células animais e vegetais.2.4. Transporte ativo e passivo.2.5. Endocitose e exocitose.
3. OBTENÇÃO E UTILIZAÇÃO DE ENERGIA PELAS CÉLULAS3.1. Cloroplastos e mitocôndrias: caracterização estrutural e funcional.3.2. Fotossíntese: processo e importância biológica.3.3. Respiração celular: processo anaeróbico e aeróbico e importância biológica.
4. NÚCLEO CELULAR4.1. Estrutura e função do núcleo celular.4.2. Células haplóides e diplóides.4.3. Composição química, morfologia e função do cromossomo. Tipos de cromatina.4.4. Identificação e caracterização físico-química do material genético. DNA e RNAs. O código genético.5. REPRODUÇÃO CELULAR5.1. Processo mitótico em células animais e vegetais: aspectos morfológicos e funcionais.5.2. Processo meiótico em células animais e vegetais: aspectos morfológicos e funcionais.5.3. Recombinação genética.
6. PROCESSOS DE SÍNTESE, SECREÇÃO E DIGESTÃO CELULAR6.1. Retículo endoplasmático, ribossomos e complexo de Golgi: estrutura e função.6.2. Lisossomos: características estruturais e funcionais.6.3. Processo de síntese de proteínas.6.4. Fagossomos e pinossomos.
II - GENÉTICA
1. MENDELISMO E NEO-MENDELISMO1.1. Expressões e termos genéticos: conceituação e interpretação.1.2. Leis e proporções mendelianas. Relação com a meiose.1.3. Herança sem dominância.1.4. Alelos múltiplos.1.5. Alelos letais e semiletais.1.6. Retrocruzamento e cruzamento-teste.1.7. Conceitos probabilísticos em genética.1.8. Genealogias.
2. LIGAÇÃO GÊNICA E MAPAS GENÉTICOS2.1. Teoria cromossômica na herança.2.2. Grupos de ligação, recombinação e mapas genéticos.2.3. Segregação independente e ligação genética: análise comparativa.
3. HERANÇA DO SEXO E CROMOSSOMOS SEXUAIS3.1. Determinação genética do sexo.3.2. Herança ligada ao sexo, parcialmente ligada ao sexo e influenciada pelo sexo.3.3. Herança holândrica.
4. INTERAÇÃO GÊNICA. CARACTERES QUANTITATIVOS4.1. Tipos de interação gênica. Epistasia.4.2. Proporções genotípicas e fenotípicas na herança quantitativa.
5. MUTAÇÕES GÊNICAS E ABERRAÇÕES CROMOSSÔMICAS5.1. Mutação gênica: importância, causas e efeitos.5.2. Aberrações cromossômicas estruturais e numéricas: agentes, causas e tipos.
6. FUNÇÃO GÊNICA6.1. Regulação gênica em procariotos - OPERON.6.2. Transformação, conjugação e transdução.
7. FUNÇÃO GÊNICA7.1. Considerações Básicas, Iniciais e Recentes em Biotecnologia: Bactérias, Vírus, Clonagem de DNA, Projeto Genoma Humano e de outros seres, Mapeamento de Genes, Terapia Gênica, Vacinas Gênicas, Transgênicos, Células Tronco.
III - EVOLUÇÃO
1. TEORIAS DA EVOLUÇÃO1.1. Evidências da evolução.1.2. Lamarquismo e Darwinismo.1.3. Teorias modernas da evolução.
2. ORIGEM E HISTÓRIA DA VIDA2.1. Abiogênese e Biogênese.2.2. Hipóteses autotrófica e heterotrófica.2.3. Evidências paleontológicas da evolução.2.4. Aparecimento dos grandes grupos de vertebrados.
3. MECANISMO DA EVOLUÇÃO3.1. Importância da variabilidade genética das populações.3.2. Fatores evolutivos: mutação, seleção, migração e deriva genética.3.3. Importância das aberrações cromossômicas e da recombinação genética para a evolução das espécies.
4. FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES4.1. Comportamento dos genes nas populações.4.2. Mecanismos de especiação.4.3. Irradiação e convergência adaptativa.4.4. Formação de raças e espécies.4.5. Evolução do homem.
IV - HISTOLOGIA
1. TECIDOS ANIMAIS1.1. Origem e classificação.1.2. Tecidos epiteliais.1.3. Tecidos conjuntivos propriamente ditos. Tecidos conjuntivos de sustentação e de transporte.1.4. Tecidos musculares.1.5. Tecido nervoso. Células da glia.
2. TECIDOS VEGETAIS2.1. Meristemas: primários e secundários.2.2. Parênquimas de preenchimento, de conexão e de reserva.2.3. Tecidos de proteção e de secreção.2.4. Tecidos mecânicos e de condução de seiva
V - TAXONOMIA
1. A CLASSIFICAÇÃO BIOLÓGICA1.1. O porquê da classificação e os sistemas de classificação biológica.1.2. Conceito de espécie.1.3. Categorias taxonômicas: conceituação e aplicação.1.4. Classificação animal e vegetal. Atuais reinos.
VI - MONERA, PROTISTA E FUNGOS
1. CARACTERÍSTICAS GERAIS, REPRODUÇÃO E IMPORTÂNCIA1.1. De bactérias e cianofíceas.1.2. De protozoários e algas euglenofíceas, crisofíceas e pirrofíceas.1.3. Dos fungos.
VII - BOTÂNICA
1. REINO DAS PLANTAS E DIVISÕES1.1. Classificação, reprodução e importância econômica das algas do reino das plantas.1.2. Briófitas e pteridófitas: classificação e reprodução.1.3. Características e formas de reprodução das GIMNOSPERMAS e das ANGIOSPERMAS.1.4. A evolução da reprodução nos grandes grupos vegetais.
2. MORFOLOGIA VEGETAL2.1. Estrutura, tipos e funções de raízes, caules e folhas.2.2. Estudo morfológico e funcional da flor e do fruto. Tipos de inflorescência.2.3. Origem, estrutura, classificação e disseminação da semente.
3. FISIOLOGIA VEGETAL3.1. Absorção de água e sais minerais.3.2. Nutrição mineral e orgânica.3.3. Transporte da seiva bruta e elaborada no interior da planta.3.4. Estruturas e órgãos transpirantes. Medida da transpiração. O mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos.3.5. Xeromorfismo e higromorfismo.3.6. Gustação e exsudação.3.7. Sistemas e mecanismos de crescimento nos vegetais.3.8. Hormônios vegetais: funções, interações e aplicações.3.9. Tropismos, tactismos, nastismos.3.10. Fatores que interferem na floração, na formação do fruto e na germinação da semente.
VIII - FUNÇÕES VITAIS NOS ANIMAIS
1. NUTRIÇÃO E DIGESTÃO1.1. Aspectos químicos e funcionais dos alimentos: substâncias orgânicas e inorgânicas.1.2. Digestão intra e extracelular: processo e enzimas envolvidas.1.3. Sistema digestivo do homem, de outros mamíferos, de outros vertebrados e de invertebrados.1.4. Regulação hormonal da digestão.
2. CIRCULAÇÃO E TRANSPORTE2.1. Circulação nos animais: tipos e significado funcional.2.2. Sangue: composição e funções.2.3. Coração: nos mamíferos e outros vertebrados.2.4. Trabalho cardíaco e regulação da função cardíaca no homem.
3. RESPIRAÇÃO3.1. Seres aeróbicos e anaeróbicos.3.2. Gases respiratórios: propriedades e transporte.3.3. Respiração no homem, nos demais mamíferos e animais.3.4. Regulação do ritmo respiratório.
4. EXCREÇÃO4.1. Eliminação de substâncias tóxicas de origem celular e regulação do equilíbrio hidrossalino (osmorregulação) nos animais.4.2. Sistema excretor no homem.4.3. Regulação da diurese e volume de líquido corporal.4.4. Excreção nos vertebrados.
5. SISTEMAS INTEGRADORES E REGULAÇÃO FUNCIONAL5.1. Tipos de receptores (foto, fono, quimiorreceptores etc.) e ocorrência nos vertebrados.5.2. Sistema nervoso nos vertebrados.5.3. Funções do sistema nervoso nos animais.5.4. Hormônios e glândulas endócrinas humanas.5.5. Regulação hormonal no homem.
6. REPRODUÇÃO E DESENVOLVIMENTO ONTOGENÉTICO6.1. Tipos de reprodução assexuada e sexuada.6.2. Tipos particulares de reprodução.6.3. Gametogênese e fecundação.6.4. Etapas do desenvolvimento, incluindo organogênese e importância do celoma.6.5. Anexos embrionários nas aves e nos mamíferos.
IX - PARASITOLOGIA
1. PRINCIPAIS PARASITOSES OCORRENTES NO BRASIL1.1. Endemia, epidemia e pandemia.1.2. Ciclos evolutivos de protozoários e vermes causadores de parasitoses.1.3. Agente causal, modo de transmissão, sintomatologia e profilaxia das parasitoses.
X - VÍRUS E BACTÉRIAS
1. VIROSES1.1. Características estruturais e funcionais dos vírus.1.2. Reprodução de vírus.1.3. Principais viroses humanas.
2. BACTERIOSES2.1. Bactérias: tipos e caracterização2.2. Reprodução de bactérias.2.3. Doenças em humanos causadas por bactérias.
3. IMUNIDADE3.1. Mecanismos naturais e artificiais de defesa a doenças.3.2. Ação de soros e vacinas.3.3. Uso de antibióticos.3.4. Importância do interferon.
XI - ECOLOGIA
1. FUNDAMENTOS1.1. Atributos e controle das populações. Curva de crescimento de uma população.1.2. Fonte e fluxo de energia nos ecossistemas.1.3. Biomassa e produtividade dos ecossistemas.1.4. Ciclos biogeoquímicos.1.5. Ecossistemas em mudança-sucessão ecológica.1.6. Biociclos: terrestre, de água doce e marinho.
2. RELAÇÕES ENTRE OS SERES VIVOS2.1. Relações harmônicas.2.2. Relações desarmônicas.
3. O HOMEM E O AMBIENTE3.1. Crescimento das populações humanas.3.2. Poluição do ar, da água e do solo.3.3. Áreas de preservação do Brasil. Interferência do homem na natureza.
Teoria musical
1 - Notas e Pausa2 - Claves3 - Valores4 - Tom, semitom e alterações5 - Ponto de aumento6 - Sinais de articulação7 - Intervalos justos, maiores e menores8 - Intervalos aumentados e diminutos9 - Intervalos compostos10 - Inversão de intervalo11 - Intervalos consoantes e dissonantes12 - Enarmonia13 - Graus da escala14 - Escalas maiores e menores15 - Escala cromática16 - Compasso simples e composto17 - Acento métrico, síncope e contratempo18 - Tons vizinhos19 - Modulação20 - Andamento21 - Quiálteras22 - Sinais de intensidade23 - Sinais de abreviatura24 - Acordes de três sons25 - Acordes de sétima26 - Acordes de nona27 - Ornamentos
Programa de testes de habilidade específica em música
O Curso de Música da Universidade Federal de Pernambuco oferece três habilitações: Bacharelado em Instrumento, Bacharelado em Canto e Licenciatura em Música.
1ª Fase: EXAME COMUM ÀS TRÊS HABILITAÇÕES.
PROVA DE SOLFEJOLeitura melódica-rítmica de pequenos trechos a uma voz nas claves de Sol e Fá, escolhidos pela banca examinadora.Leitura rítmica de trecho específico.
2ª Fase: EXAMES ESPECÍFICOS PARA O BACHARELADO.
2.1 INSTRUMENTO: Violão, Piano, Flauta Doce, Flauta Transversa, Clarinete, Violoncelo, Violino, Viola, Contrabaixo, Trompa e Fagote.
2.1.1 VIOLÃOUma peça da Renascença.Uma peça do Barroco.Um estudo de Fernando Sor.Uma peça de Villa-Lobos.Uma peça de autor moderno.
2.1.2 PIANOUm tempo vivo de Sonata de Beethoven ou Mozart ou Haydn.Uma peça do período Romântico com duração mínima de 5 minutos.Uma peça de autor brasileiro.Uma invenção a 3 vozes ou um dos Prelúdios do Cravo Bem Temperado do Bach.
2.1.3 FLAUTA DOCEUm estudo para Flauta Soprano.Um estudo para Flauta Contralto.Uma Sonata Barroca (para Flauta Soprano ou Contralto).Uma peça de autor contemporâneo (para Flauta Soprano ou Contralto).
2.1.4 FLAUTA TRANSVERSAEscalas Maiores e menores.Uma peça Barroca.Uma peça Clássica.Parte nº 4 do método Taffanel.
2.1.5 CLARINETEUma peça de livre escolha do repertório do Instrumento.Um estudo de H. Klosé.Uma leitura à primeira vista.Concertino op. 26 - K. M. V. Weber.
2.1.6 VIOLONCELOExecução das seis primeiras posições nas quatro cordas - Método Lee.Escalas de Dó Maior, Ré Maior e Sol Maior.Um Estudo pré-POPPER.Um Estudo de POPPER.Uma suíte completa de J. S. Bach.Uma sonata do período Romântico.Uma peça de autor brasileiro.
2.1.7 VIOLINOSistema de Escalas em três oitavas: maiores; menores; homônimas; 3ªs sucessivas; arpejos.Um estudo a escolher dentre: Kreutzer 42 Estudos (nºs 10 a 32).Dont op. 37 (nºs 12 a 24); Fiorello 36 Estudos (nºs 1 a 18).Um movimento Allegro de concerto a escolher dentre:- Bach (Lá menor ou Mi menor).- Mozart(Sol Maior, Ré Maior ou Lá Menor).
2.1.8 VIOLAUm Estudo de Kreutzer.Uma Escala em três oitavas.Uma Peça entre:• Concerto de Telemann;• Suíte de Bach;• Sonata completa.
2.1.9 CONTRABAIXOUm movimento de uma Sonata Barroca.Um movimento de uma peça Romântica.Um movimento de uma peça Contemporânea.Um estudo de livre escolha.
2.1.10 TROMPAUma peça de livre escolha.W.A. Mozart - Primeiro movimento do Concerto nº 3 em Mi bemol K 447.Uma peça do Século XX.Extrato Orquestral - Solo do 2º Movimento da 5ª Sinfonia de P.I. Tchaikovski.Escalas Maiores, Menores e Arpejos.
2.1.11 FAGOTEUma escala Maior e uma Escala Menor em 3 (três) oitavas.Um estudo de L.MILDE - 25 Estudos para Fagote (escalas e arpejos).Um movimento de uma obra do período BarrocoUm movimento de uma obra do período Clássico.
2.2 CANTOUma peça do Barroco.Uma peça do Classicismo.Um lied.Uma peça brasileira.
OBSERVAÇÃO: Embora não se exijam conhecimentos prévios de instrumentos musicais, os candidatos ao Curso de Licenciatura deverão, durante sua formação, cursar Flauta Doce, ou Violão, ou Teclado.

domingo, 7 de dezembro de 2008

Cinco poemas concretos

video

Os poemas abaixo dizem muito do concretismo, a palavra perde o seu lugar para a imagem, percebemos que agora na contemporaneidade o conceito de literatura é quebrado, há uma negação conceitual a literatura deixa de ser "a arte da palavra" e começa a ser a junção de todos os sentidos, a palavra por si só diz muito, mas a visualização é a completude do sentido.

domingo, 30 de dezembro de 2007

Concretismo




Quando se toma contato com a História da Arte Brasileira, é possível constatar que até o início do século XX, predominava na artes plásticas um tipo de representação preso a padrões e normas rígidos que valorizavam a cópia fiel de modelos e da natureza, comumente denominada "arte acadêmica".
A Semana de 22 introduziu o primeiro surto modernista no país ao se colocar contra aquele academicismo na busca de uma identidade nacional. Tal identidade se caracterizou por ainda manter uma representação figurativa do homem e da paisagem, mas retratando características essencialmente brasileiras e quebrando aquela rigidez determinada pela academia. Esses traços foram constantes em nossa Arte até o final dos anos 40.
O segundo surto modernista ocorreu na década de 50. Repetindo o acontecimento de 22, reuniram-se novamente, poetas e artistas plásticos paulistas e cariocas que, unidos pelo mesmo interesse, procuravam uma maneira de voltar às formas puras tendo por base a Geometria.
Declarando-se contra o cansaço da arte figurativa, recorreram à linguagem geométrica que proporcionaria à poesia e às artes plásticas uma nova visualidade concedendo ampla autonomia à forma.
A Arte produzida nesse período pode ser identificada como "arte concreta", ou seja, uma Arte que, embasada em formas geométricas, evidencia:

• desprendimento total da natureza.
• acentuado caráter objetivo, racionalista.
• privilégio a procedimentos matemáticos.

Em se tratando da paisagem construída pelo homem, o Concretismo acabou gerando alterações na arquitetura, design, mobiliário, artes gráficas, paisagismo... Além de ser um movimento relevante a nível nacional, tornou-se, também, conhecido e influente fora do país.


Concretismo é um movimento vanguardista surgido em 1950, inicialmente na música e depois passando para a poesia e artes plásticas.
Defendia a racionalidade e rejeitava o expressionismo, o acaso, a abstração lírica e aleatória. Nas obras surgidas no movimento, não há intimismo nem preocupação com o tema, seu intuito é acabar com a distinção entre forma e conteúdo e criar uma nova linguagem.
Durante a década de 1960, poetas e músicos do movimento passam a se envolver em temas sociais, geralmente sem influência na obra, sendo somente uma ligação pessoal. As obras passam a ser mais e mais preocupadas com a inovação da linguagem. A poesia concreta tem em Vladimir Mayakovsky um grande expoente; o poeta russo afirmava que não há arte revolucionária sem forma revolucionária.

Principais representantes
• Augusto de Campos
• Décio Pignatari
• Haroldo de Campos
• Luiz Sacilotto

1 - Augusto Luís Browne de Campos (São Paulo, 14 de fevereiro de 1931) é um poeta, tradutor e ensaísta brasileiro.
Estreou em 1951 com o livro O Rei Menos o Reino, quando ainda era estudante da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. É um dos criadores da Poesia Concreta, junto com seu irmão, Haroldo de Campos, e Décio Pignatari, que ao romperem com o Clube de Poesia, lançaram a revista Noigandres. Usando recursos visuais como a disposição geométrica das palavras na página, a aplicação de cores e de diferentes tipos de letras, Augusto criou Poetamenos (1953), Pop-cretos (1964), Poemóbiles (1974) e Caixa Preta (1975). Boa parte dessa produção está reunida nas coletâneas Viva Vaia (1979), Despoesia (1994) e Não (2004).
Além de traduzir Stéphane Mallarmé, James Joyce, Ezra Pound, Vladimir Maiakóvski, Arnaut Daniel e E. E. Cummings, entre outros, publicou as antologias Re-Visão de Sousândrade (1964) e Re-Visão de Kilkerry (1971). Seus textos críticos podem ser lidos em Teoria da poesia concreta, Balanço da Bossa, À margem da margem e o Anti-crítico, entre outros.
Sua obra dialoga com a música, tem parceria em canções gravadas por Caetano Veloso e Arrigo Barnabé e gravou o CD Poesia é Risco, junto com o filho Cid Campos (1994).

2 - Décio Pignatari (Jundiaí, 20 de agosto de 1927) é um poeta, ensaísta e tradutor brasileiro.
Desde os anos 1950, realizava experiências com a linguagem poética, incorporando recursos visuais e a fragmentação das palavras. Tais aventuras verbais culminaram no Concretismo, movimento estético que fundou junto com Augusto e Haroldo de Campos, com quem editou as revistas Noigandres e Invenção e publicou a Teoria da Poesia Concreta (1965).
Como teórico da comunicação, traduziu obras de Marshall McLuhan e publicou o ensaio Informação, Linguagem e Comunicação (1968). Sua obra poética está reunida em Poesia Pois é Poesia (1977).
Décio Pignatari publicou traduções de Dante Alighieri, Goethe e Shakespeare, entre outros, reunidas em Retrato do Amor quando Jovem (1990) e 231 poemas. Publicou também o volume de contos O Rosto da Memória (1988) e o romance Panteros (1992), além de uma obra para o teatro, Céu de Lona.

3 - Haroldo Eurico Browne de Campos (São Paulo, 19 de agosto de 1929 — 16 de agosto de 2003) foi um poeta e tradutor brasileiro.
Haroldo fez seus estudos secundários no Colégio São Bento, onde aprendeu os primeiros idiomas estrangeiros, como latim, inglês, espanhol e francês. Ingressou na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, no final da década de 1940, lançando seu primeiro livro em 1949, O Auto do Possesso quando, ao lado de Décio Pignatari, participava do Clube de Poesia.
Em 1952, Décio, Haroldo e seu irmão Augusto de Campos rompem com o Clube, por divergirem quanto ao conservadorismo predominante entre os poetas, conhecidos como "Geração de 45". Fundam, então, o grupo Noigandres, passando a publicar poemas na revista do grupo, de mesmo título. Nos anos seguintes defendeu as teses que levariam os três a inaugurar em 1956 o movimento concretista, ao qual manteve-se fiel até o ano de 1963, quando inaugura um trajeto particular, centrando-se suas atenções no projeto do livro-poema "Galáxias".
Haroldo doutorou-se pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, sob orientação de Antonio Candido, tendo sido professor da PUC-SP, bem como na Universidade do Texas, em Austin.
Haroldo dirigiu até o final de sua vida a coleção Signos da Editora Perspectiva.
"Transcriou" em português poemas de autores como Homero, Dante, Mallarmé, Goethe, Mayakovski, além de textos bíblicos, como o Gênesis e o Eclesiastes. Publicou, ainda, numerosos ensaios de teoria literária, entre eles A Arte no Horizonte do Provável (1969).
Faleceu em São Paulo, tendo publicado, pouco antes, sua transcriação em português da Ilíada, de Homero.
Obras• Xadrez de Estrelas (1976)
• Signância: Quase Céu (1979)
• A Educação dos Cinco Sentidos (1985)
• Galáxias (1984)
• Crisantempo (1998)
• A Máquina do Mundo Repensada (2001)
Prêmios e homenagens
Sua biografia foi incluída na Enciclopédia Britânica em 1997.
Foi o ganhador do Premio Octavio Paz de Poesía y Ensayo, no México, em 1999.
Nesse mesmo ano, as Universidades de Yale e de Oxford organizaram conferências sobre sua obra em comemoração de seus setenta anos.
Foi vencedor do prêmio Jabuti em 1991, 1993, 1994, 1999, 2002:


4 - Luís Sacilotto (Santo André, 1924 — São Bernardo do Campo, 9 de Fevereiro de 2003) foi um pintor, desenhista e escultor brasileiro.
Uma maiores expressões do Abstracionismo no Brasil, Luís Sacilotto foi revelado durante a década de 1940.
Em 1943, formou-se letrista no Instituto Profissional Masculino do Brás. Em 1944 ingressou na Centro Universitário Belas Artes de São Paulo para estudar desenho, saindo de lá em 1947.
Sacilotto começou então a trabalhar como publicitário e desenhista de arquitetura. Ainda em 1947, participou da Mostra de 19 pintores na capital paulista.
Em 1952 ganhou o Prêmio Governador do Estado, na Sociedade Pró-Arte Moderna (SPAM). No mesmo ano assinou o Manifesto do Grupo Ruptura, aparecendo em suas obras o Concretismo.
Entre 1956 e 1957, participou da Primeira Exposição Nacional de Arte Concreta, em São Paulo e no Rio de Janeiro.
Sacilotto participou também, em 1959, da Mostra de Arte Moderna, que foi exibida na Europa, mostrando sua obra Koncrete Kunst em Zurique, em 1960.
Em 1977 participou da Mostra Projeto Brasileiro Construtivo na Arte, organizada pela Pinacoteca do Estado de São Paulo e pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.
No ano de 1988 fez uma mostra individual em uma galeria. Paricipou da Bienal Brasil Século XX e das principais exposições de algumas Bienais Internacionais de São Paulo, tendo participado de cinco Bienais no Brasil.



Comentem

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Literatura Contemporânea

A literatura constitui-se num instrumento de ligação entre o homem e sua identidade, essa que se constrói desde os tempos imemoriais.Identidade lembra cultura como instrumento de de transformação. A cultura brasileira segue um momento ritímico de mudanças, mais especificamente no início da década de 50, novas idéias surgem e novo modo do fazer artístico e literário se "impõe" no Teatro, na mùsica, na poesia, etc e dois movimentos marcam esse período, que são eles, O Concretismo e o Tropicalismo.

Esse blog se propõe a discutir esses movimentos e suas particularidades. Trata-se de um trabalho com as turmas de 3º ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Roberto Santos, do ano letivo de 2007, através do qual os mesmos se propõem a discutir, analisar e inovar o processo de ensino/aprendizagem através das novas tecnologias educativas.

Quem sou eu

Minha foto
Graduado em letras pela Universidade do Estado da Bahia, Especialista em Met. do Ensino de Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, pelo IBPeX, mestrando em Crítica Cultural pela UNEB. Professor de Língua Portuguesa, Literatura e Redação de escolas Públicas, particulares e Cursos Pré-vestibulares

Qual o heterônimo pessoano mais se parece com o hortônimo (Fernando Pessoa)?